Municípios

Alijó

Alijó é uma Vila que pertence ao Distrito de Vila Real, é sede de um município com 298 km² de área. Esta Vila insere-se na Serra de Vilarelho, a cerca de 800 metros de altitude, onde o ar puro, a tranquilidade e o sossego são abundantes.

Na praça da Vila está edificado um Monumento ao homem do Douro, uma homenagem a todos os viticultores que participaram nos movimentos da revolta durante as crises da história do Vinho do Porto. O Concelho oferece paisagens deslumbrantes, com encostas cobertas de vinhas em socalcos, debruçadas sobre o rio Douro.

Em Favaios pode encontrar-se o melhor mel e pão da região, bem como o doce Vinho Moscatel.

O Pinhão é um emblemático entreposto portuário do antigo transporte do Vinho do Porto em barcos rabelo até Vila Nova de Gaia, aqui está localizada a estação de caminhos-de-ferro com uma coleção extraordinária de painéis de azulejos que ilustram todo o ciclo da vinha e do vinho.

Armamar

É uma vila histórica, de origem goda, situada a cerca de 500 metros de altitude na encosta de um monte. Na sua história consta a passagem de D. Afonso Henriques (1º Rei de Portugal) e do seu aio D. Egas Moniz.

Os seus miradouros dão para paisagens magníficas, onde há terrenos que se dividem entre pomares de maçã e vinhas. Há também terrenos com medronheiros (fruto vermelho de sabor agridoce) que são, na sua maioria, transformados em álcool.

A gastronomia é rica, sendo o cabritinho assado o prato mais tradicional acompanhado por bons vinhos. O artesanato é singular (latoaria, tecelagem, tanoaria, cestaria e calçado em madeira).

Cinfães

Cinfães é território de fundação multisecular, com o 1.º Foral concedido por D. Manuel I - o Venturoso, na data de 1 de Maio de 1513. Contudo, a história é ainda mais abrangente, chegando a atingir cerca de 5 milénios de ocupação, quando aqui chegaram, pelo rio Douro, os Pesures (PAESURV) - povos pré-celtas do Neolítico e Calcolítico.

Nos tempos mais próximos, as condições de navegabilidade do Rio Douro e a importante localização de Porto Antigo - em Oliveira do Douro, a par da liberalização das produções agrícolas, vieram trazer cada vez mais senhores ao território e, entre famílias poderosas e bons trabalhadores, nasceu, no séc. XIX, Alexandre Serpa Pinto. Daqui saiu para descobrir e inventariar África, e aqui voltou para passar o conhecimento ao Mundo.

O Vale do Bestança – Tendais, e o Vale do Ardena - em Nespereira, que acompanham os Rios com o mesmo nome, são pontos tipicamente rurais que, em espaços repletos de trilhos pedestres, complementam a biodiversidade única dos recantos protegidos à invasão. São também fortes destinos etnográficos, com as mais diversas tradições culturais e de artesanato.

Freixo de Espada à Cinta

Freixo de Espada à Cinta é uma Vila do Distrito de Bragança, a cerca de 470 metros de altitude e com cerca de 2100 habitantes. Está situada em pleno Parque Nacional do Douro Internacional.

Aqui as paisagens são magníficas sendo dominadas essencialmente por vinhas e oliveiras mas também amendoeiras e laranjeiras.

É uma Vila histórica, com um imenso património onde domina a arquitetura manuelista.

O nome da vila tem diversas explicações: para alguns tem origem no nome de um guerreiro godo (Espadacinta), para outros no brasão de um fidalgo espanhol ou ainda a história de que o rei D. Dinis quando visitou a terra no século XIV pendurou a sua espada num freixo junto ao castelo.

Lamego

Lamego é uma cidade do Distrito de Viseu, com cerca de 10 796 habitantes. Foi uma das primeiras cidades a tornar-se sede de Bispado.

É uma cidade histórica e monumental, pois possui inúmeros monumentos, igrejas e casas brasonadas.

A Romaria de Nossa Senhora dos Remédios, que decorre no mês de Setembro, traz à cidade muitos visitantes. Durante a Romaria a cidade é invadida por acontecimentos culturais e religiosos e muitas emoções: há procissões, desfiles, bandas de música, folclore e muitos foguetes.

A cidade oferece uma gastronomia deliciosa, onde está inserida a doçaria conventual. O artesanato é rico e diversificado.

Mesão Frio

É uma Vila do Distrito de Vila Real, localizada mesmo em frente à Serra de Montemuro e aos pés do Marão.

O concelho está no limite da Região Demarcada do Douro, é rodeado de vinhas e quintas debruçadas sobre o Douro. Nas suas encostas há casas brasonadas e solares setecentistas que foram construídos em épocas prósperas de produção e comércio do Vinho do Porto.

É terra de bom vinho e boa comida; as receitas tradicionais são: sável, lampreia, truta, cabrito assado, marrã (carne de porco), doçaria: falachas, doces e rebuçados de Donsumil.

Moimenta da Beira

É uma Vila do Distrito de Viseu. A Vila de Moimenta da Beira terá sido formada no século XIII, por Egas Moniz, depois do repovoamento, feito pelo Conde D. Henrique, após a Reconquista Cristã.

A sua paisagem montanhosa e granítica em contrate com a zona ribeirinha da Albufeira do Vilar atraiu povos pré-históricos: civilizações castrejas, romanos e árabes. Aqui é possível encontrar muitos vestígios pré-históricos e praias fluviais que convidam a descontrair.

Há pomares de maçã e campos de batatas e cereais; pastos verdes cobertos de gado e rebanhos de ovelhas.

Mogadouro

Situado no Nordeste Transmontano, no Planalto Mirandês, entre os rios Douro e Sabor, Mogadouro é um concelho extenso, 756 Km2, com 28 freguesias, 56 povoações, com 11350 habitantes, que apresenta um povoamento antigo que pode ser recuado aos tempos pré-históricos. A documentar essa ocupação estão os povoados do Barrocal/Alto e do Cunho, os monumentos megalíticos de Pena Mosqueira, Sanhoane, Barreiro, Modorra, a arte rupestre da Fraga da Letra, em Penas Roias, e outros achados dispersos que encontramos na Sala Museu de Arqueologia da Vila.

A sua economia assenta na agropecuária, particularmente no sector leiteiro com produções diárias superiores a 100.000 litros. O azeite do vale do Sabor, as uvas do vale do Douro, a cortiça, a lã, o mel, os enchidos, a carne mirandesa certificada e outros fazem a riqueza do concelho de Mogadouro.

Murça

Murça é uma Vila do Distrito de Vila Real com cerca de 2 200 habitantes. A porca de Murça é o ex libris da Vila, escultura celta que representa uma das divindades deste povo, o javali.

As suas paisagens agrestes na transição entre o xisto duriense e o granito transmontano encantaram vários reis de Portugal.

Os extensos olivais e a vinha são as maiores riquezas desta população. O azeite de Murça foi já por diversas vezes premiado como um dos melhores do Mundo.

Peso da Régua

A Régua é uma cidade do distrito de Vila Real com cerca de 9 353 habitantes.

É a coração da Região Demarcada do Douro. Marquês de Pombal transformou-a num entreposto comercial muito movimentado de onde partiam os barcos rabelos para levar o Vinho do Porto até Vila Nova de Gaia.

Esta cidade é rodeada por vinhas e quintas fantásticas, é atualmente muito animada e movimentada, tendo o rio um papel fundamental.

Atualmente o rio Douro é aqui visitado por embarcações de recreio e barcos de cruzeiros, turismo fluvial que já movimenta cerca de 200 mil turistas ano, na sua grande maioria internacionais.

Penedono

Penedono é uma Vila do distrito de Viseu, com cerca de 1 100 habitantes. Domina a Vila o seu Castelo Medieval do século XI. Reza a história que nesse mesmo Castelo nasceu o celebre “Grão Magriço”, um dos Doze da Inglaterra, imortalizado nos “Lusíadas” por Luís de Camões.

A sua época áurea foi vivida durante a 2º Guerra Mundial, quando foi descoberto o precioso volfrâmio nas suas terras, que foi então extraída para ajudar na construção do armamento militar.

As paisagens de Penedono são fantásticas e de fortes contrastes. Os solos são ocupados com grandes castanheiros, pastos e ancestrais monumentos megalíticos. A devoção das suas gentes pelos santos padroeiros exprime-se nas festas e romarias que animam as freguesias devotas.

Resende

A apenas uma hora de distância do Porto, na margem Sul do rio Douro, fica o concelho de Resende. Porta de entrada no Douro vinhateiro, classificado Património da Humanidade, Resende permite desfrutar de paisagens inesquecíveis. O relevo montanhoso confere a esta região um carácter único, marcado pelo percurso do rio e pela encosta do Montemuro.

Aqui é possível encontrar ainda diversos vestígios dos antigos habitantes da região, num período que remonta à pré-história. A natureza, o património, as termas de Caldas de Aregos, o artesanato, o folclore e a gastronomia constituem-se assim como os principais argumentos para uma visita.

O município de Resende é um dos maiores produtores nacionais de cereja, e esta representa mesmo uma das mais importantes fontes de rendimento da população.

As Caldas de Aregos são um dos espaços termais mais reconhecidos, no Norte do país. As águas sulfúreas, bicarbonatadas, sódicas e fluoretadas que aqui se captam estão indicadas para o tratamento de doenças reumáticas, dermatoses, problemas das vias respiratórias e afeções ginecológicas. O actual balneário foi integralmente reconstruído na década de 1990.

Nas artes tradicionais destacam-se a olaria de barro negro, a cestaria, a chapelaria, as rendas e os bordados.

Sabrosa

Sabrosa é uma Vila do Distrito de Vila Real com cerca de 1 200 habitantes. Aqui nasceu Fernão de Magalhães, um dos maiores navegadores portugueses.

É uma Vila com foral, que acolheu desde cedo bárbaros, romanos, mouros e cavaleiros.

A sua paisagem divide-se entre o granito e a paisagem agreste contrastando por outro lado com as vinhas em socalcos que integram a região do Alto Douro Vinhateiro. Foi inspiração para varias gerações de artistas e encantou Miguel Torga, natural de São Martinho de Anta.

A sua riqueza arquitetónica está bem presente nos solares e casas brasonadas espalhados por todo o concelho. Também é de visitar a Capela de Nossa Senhora da Azinheira em São Martinho de Anta e a Igreja Matriz de Celeiró do Douro.

Santa Marta de Penaguião

Santa Marta de Penaguião é uma Vila do Distrito de Vila Real com cerca de 1 300 habitantes. Localizada em pleno coração da Região Demarcada do Douro e protegida pela Serra do Marão, possui uma paisagem maravilhosa com as vinhas em socalcos.

Tem a maior adega cooperativa da região que produz bons vinhos de mesa e Vinho do Porto.

É uma vila de história, tradições e património cultural e natural.

O primeiro foral da Vila foi-lhe doado por D. Sancho I em 1202, terras que na altura pertenciam ao filho de D. Egas Moniz, no tempo do reinado do fundador da nacionalidade, D. Afonso Henriques.

São João da Pesqueira

São João da Pesqueira é uma Vila do Distrito de Viseu com cerca de 2000 habitantes, localizada a cerca de 850 metros de altitude. O nome Pesqueira data do século XII, e teve origem na abundância de peixe nas águas próximas do enclave rochoso “Cachão da Valeira”.

A Vila tem um dos mais antigos forais portugueses, outorgado por Fernando, o Magno, Rei de Castela e Leão.

Aqui domina a paisagem verde, da vinha, oliveira e amendoeira. Os miradouros dão para paisagens soberbas do Douro com uma beleza encantadora.

As praças e ruas da vila estão cheias de solares brasonados capelas e igrejas românicas, e conheceram importantes figuras da nossa história tais como os Condes de Távora ou o Marquês de Pombal.

Sernancelhe

Sernancelhe é uma Vila do Distrito de Viseu com cerca de 1 200 habitantes, localizada aos pés da Serra da Lapa. Terra de Aquilino Ribeiro, um dos maiores escritores portugueses do século XX.

É atualmente conhecida como “Terra dos Mosteiros”, pois os seus mosteiros, igrejas, solares e casas senhoriais provam a atracão a estas terras por fidalgos e senhores, monges e feriras.

O Santuário de Nossa Senhora da Lapa arrasta muitos peregrinos, aqui acontece uma Majestosa Romaria.

Lugar de devoção e culto, mas também de alegria, festa e romarias.

Tabuaço

Tabuaço é uma Vila do Distrito de Viseu, com cerca de 1800 habitantes.

As raízes desta vila remontam a épocas conturbadas de reconquista e formação da nacionalidade.

O rio Távora banha estas terras, que acolheram Monges de Cister; junto ao curso do rio, no período medieval, foram construídos o Mosteiro e a Capela de S. Pedro das Águias.

É terra de contrastes, entre a serra e o vale, de uma beleza rara as margens do rio, tudo acompanhado de muita tranquilidade e ar puro.

Aqui é possível encontrar abundantes vestígios arqueológicos, casas solarengas e antigos monumentos. As suas vinhas produzem bons vinhos de mesa e Vinho do Porto de qualidade.

Tarouca

Tarouca é uma pequena cidade do Distrito de Viseu, com cerca de 1 111 habitantes. Situa-se aos pés da Serra de Santa Helena.

Possui Mosteiros Cistercienses (Mosteiro de S. João de Tarouca e o Mosteiro de Santa Maria de Salzedas), antigas abadias e pontes raras.

O rio Varosa atravessa o concelho, e em vários pontos é possível praticar alguns desportos radicais bem como desfruta das praias fluviais em Mondim da Beira, Ucanha e Várzea da Serra.

É também paraíso dos amantes de desportos ao ar livre e praticantes de parapente e asa delta.

É terra de vinhas donde saem alguns dos mais emblemáticos espumantes nacionais que são elaborados segundo o método clássico. Visitar Tarouca é uma viagem ao passado, onde abunda a tradição, a arte e a cultura.

Torre de Moncorvo

Torre de Moncorvo é uma Vila do Distrito de Bragança com cerca de 3 000 habitantes. Situa-se na encosta da Serra do Reboredo.

Moncorvo terá tido origens medievais; no século XII e XIII, terá ali existido uma povoação denominada Santa Cruz da Vilariça, à qual foi concedida foral em 1225.

É a terra das amendoeiras, que na altura de florirem, pela Primavera, arrastam muitos visitantes para apreciarem o manto branco que se junta ao verde da paisagem e ao castanho da terra.

A Câmara Municipal de Torre de Moncorvo organiza a Festa das Amendoeiras em Flor (em Fevereiro e Março) onde também é possível provar a gastronomia local.

A Gastronomia tem então na sua base a amêndoa: cobertas com uma camada fina de açúcar ou com chocolate e canela.

Vila Nova de Foz Côa

Vila Nova de Foz Côa é uma cidade do Distrito da Guarda com cerca de 3 300 habitantes.

O seu primeiro foral foi-lhe concedido em 1299, por D. Dinis. Em 1514 D. Manuel I concedeu um novo foral. No concelho existem 3 monumentos nacionais: o castelo de Numão, o Pelourinho de Vila Nova de Foz Côa e a Igreja Matriz da mesma vila. Esta cidade possui um património raríssimo e muito belo conhecido para além das fronteiras nacionais e da Península Ibérica.

Património Mundial da Humanidade pela UNESCO em 1998 é a arte paleolítica que se encontra nestas terras ao ar livre numa extensão de 17 km.

É o maior legado dos nossos antepassados do período paleolítico, a visita ao Parque Arqueológico é obrigatória.

Mas as gravuras não são os únicos pontos de interesse destas terras, há também as vinhas, os olivais e amendoais, que oferecem paisagens fantásticas e produtos de excelente qualidade.

Vila Real

Vila real é uma cidade, capital do Distrito de Vila Real, com cerca de 25 000 habitantes.

Situa-se na confluência dos rios Corgo e Cabril, tem ao fundo a Serra do Alvão e a Serra do Marão (mais distante), localiza-se a cerca de 450 metros de altitude.

É uma cidade com belos monumentos: templos e casas nobres.

O Santuário das Panoias, santuário pagão rupestre da época Romana, é uma raridade no património do concelho.

A cidade desenvolveu-se muito até aos dias de hoje, no entanto os sinais da sua história nunca foram apagados, no seu centro histórico é possível encontrar construções novas e antigas. A universidade de Trás-os-montes é um ponto incontornável da importância que Vila Real assume na economia do interior de Portugal, sendo o polo de saber regional que dissemina jovens altamente qualificados pela economia regional.